Imprensa

03-Out-2017 13:16 - Atualizado em 10/10/2017 09:32
AUDIÊNCIA

Ex-provedor e ex-funcionários da Santa Casa são ouvidos

,
Santa Casa
Uma audiência nesta segunda-feira (2) ouviu o ex-provedor da Santa Casa de Sorocaba (SP), José Antônio Fasiaben, investigado por irregularidades na administração e de participar de um esquema de superfaturamento com o ex-funcionário João Tadeu Rocha, a ex-administradora do plano de saúde, Selma Durão, e dois empresários e ex-fornecedores do hospital, Douglas Caetano da Silva e Romildo Caetano da silva, que são pai e filho.

Fasiaben é investigado por corrupção ativa e passiva, formação de organização criminosa e manipulação de licitação em esquema de superfaturamento. Essas denúncias surgiram durante as investigações das CPIs da Saúde, da Câmara Municipal de Sorocaba, conduzidas pelo então vereador Izídio de Brito (PT), entre 2013 e 2015.

Os relatórios, encaminhados aos órgãos competentes para investigação criminal, como o Gaeco e MP, apontavam irregularidades nas contas do convênio entre a Prefeitura e o Hospital, nos serviços do Pronto-Socorro Municipal, entre outras. Ainda no documento, foram solicitadas, pela CPI presidida por Izídio, a intervenção imediata e a realização da auditoria no financeiro e funcionamento do Hospital da Santa Casa. 

"Com os relatórios parciais e final, solicitamos as devidas investigações dos órgãos competentes. Foram várias irregularidades detectadas e denúncias mais que recebemos durante toda a CPI", explica o ex-vereador. "Fomos até onde competia ao legislativo e ficamos felizes pelo encaminhamento e investigação a fundo desses graves crimes detectados na  Santa Casa", ressalta Izídio de Brito.

Audiência

Fasiaben foi o primeiro a prestar depoimento e esteve presente acompanhado pela advogada de defesa. Ele saiu sem falar com ninguém e não comentou sobre a acusação.

O grupo foi denunciado pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) por associação criminosa e peculato, que é a apropriação do dinheiro público.

Esta é uma das últimas fases do processo, que já ouviu as testemunhas de acusação e as testemunhas de defesa. Na próxima fase serão dadas as alegações finais e o juiz Jayme Walmer de Freitas deve aplicar a sentença.

Investigações
 
Jose Antônio Fasiaben, que responde aos outros inquéritos e chegou a ser preso, não compareceu à delegacia quando seis pessoas foram indiciadas por crimes de corrupção no sétimo inquérito que apurou irregularidades na Santa Casa. De acordo com a investigação, foi descoberto um esquema de superfaturamento no setor de compras e aquisição.

As irregularidades aprofundadas na administração da Santa Casa de Sorocaba começaram a ser descobertas depois de uma auditoria contratada pela prefeitura em 2014 após pedido de sua realização pela CPI da Saúde, da Câmara Municipal.

O caso chegou à Polícia Civil que começou a investigar as denúncias. Fasiaben é suspeito de ter provocado um rombo nas contas do hospital, mas a polícia diz que ele não agia sozinho.

Pelo menos outras duas pessoas também sabiam das irregularidades: Ademir Lopes, que trabalhava na contabilidade do hospital e Selma Durão, administradora do plano de saúde da Santa Casa. Ademir também foi preso na época, está solto e responde ao processo em liberdade, já Selma ficou foragida, mas conseguiu na Justiça derrubar o pedido de prisão.

 

,
Izídio ouviu Fasiaben na CPI da Saúde (foto). Seu relatório originou na investigação do ex-provedor por corrupção, organização criminosa e superfaturamento

Fasiaben prestou depoimento à CPI da Saúde (foto). O relatório dos trabalhos originou na investigação do ex-provedor por corrupção, organização criminosa e superfaturamento

Com informações do G1
Deixe seu Recado