Imprensa

09-Out-2019 16:05
SAÚDE

Radioterapia no CHS só deve funcionar em abril de 2020

Na Santa Casa, acelerador linear está instalado, mas não tem prazo para começar o atendimento

Os pacientes de Sorocaba e região que dependem de radioterapia vão ter que esperar para receber o tratamento na cidade. De acordo com matéria publicada no Jornal Cruzeiro do Sul, a conclusão da casamata (estrutura destinada ao centro de oncologia) no Conjunto Hospitalar só deve acontecer em fevereiro de 2020 e o efetivo atendimento apenas em abril. O acelerador linear deve chegar na cidade em novembro deste ano.

A adesão de Sorocaba ao Plano de Expansão da Radioterapia foi em 2012, ainda no governo da presidenta Dilma Rousseff. No entanto, as obras que deveriam ter sido iniciadas em 2016 estão atrasadas. O motivo da demora, segundo o Jornal Cruzeiro do Sul, aconteceu porque a antiga gestão do CHS não deu sequência nas obras.

Santa Casa

A situação foi a mesma na Santa Casa, que também recebeu o equipamento do Plano de Expansão da Radioterapia. O último prazo para o atendimento estar funcionando era fevereiro desde ano, mas isso não aconteceu e, segundo disse à Câmara de Vereadores o presidente da Irmandade da Santa Casa, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, não há um novo prazo estabelecido.

O Secretário de Organização do Sindicato dos Metalúrgicos, Izídio de Brito, foi vereador por dois mandatos e fiscalizou a situação, que não teve solução durante os mandatos dos prefeitos Vitor Lippi e Carlos Antonio Carlos Pannunzio, ambos do PSDB.

Durante seu período na câmara, Izídio foi presidente da Comissão de Saúde e também presidiu uma CPI sobre o tema e foi membro de outra. Na conclusão da CPI da Saúde, foi constatado que recursos destinados à construção da casamata foram utilizados para outros fins. À época, a Santa Casa era gerida por José Antônio Fasiaben, condenado a 52 anos e quatro meses de prisão pelos crimes de peculato e associação criminosa.

Izídio explica que foi uma luta do mandato garantir a regularização do atendimento em Sorocaba. “Nos dois mandatos estivemos em cima dessa história. Investigamos as denúncias de corrupção através da CPI, denunciamos os atrasos no Ministério Público. E, apesar da justiça ter sido feita no caso do Fasiaben, a situação ainda não se resolveu”.

 

Atendimento humanizado

Ele lembra que muitos pacientes de Sorocaba e região sofrem com a falta de atendimento na cidade. “Imagina que pessoas com câncer, sentindo muita dor precisam viajar por horas e horas para receber o tratamento. Saem das suas casas de madrugada e só voltam tarde da noite. Isso é desumano”.

Além disso, outro ponto importante é a humanização do tratamento. “Com o acelerador linear, a eficácia do tratamento chega a ser quatro vezes maior, aumentando o tempo de sobrevida e, em muitos casos, até a cura do paciente”, reforça Izídio.

Para Izídio, é preciso continuar cobrando. “Apesar de não termos mandato, acompanhamos a situação e vamos continuar na luta para garantir atendimento digno para essas pessoas que já sofrem tanto”.

Deixe seu Recado